Fique por dentro das novidades e saia na frente

Receba e-mails semanalmente com novidades.

 

 

Planejamento financeiro - como colocar as contas da empresa em dia

Postado por Márley Nolêto

Postado em 27/01/2016 18:00:00


Planejamento financeiro: como colocar as contas da empresa em dia

O planejamento financeiro é uma ferramenta que deve estar presente de forma contínua na gestão de uma empresa. Deixar de acompanhar o orçamento ou fazer isso de modo ineficiente pode trazer prejuízos para o negócio e, em casos extremos, até levar à falência. Se você tem ou quer montar um empreendimento, confira as dicas do post de hoje para ter as contas sempre em dia:

Por que fazer o planejamento financeiro?

Já imaginou ter que dirigir em uma estrada desconhecida, à noite, sem farol? Isso seria uma tarefa altamente arriscada, não é mesmo? Agora pense nas milhares de empresas que se lançam no mercado sem qualquer planejamento financeiro e, em menos de dois anos, fecham as portas. Como você pode ver, a relação de risco entre as duas situações é bem parecida. Por isso, quem pretende abrir um negócio ou quem já está em atividade deve ter atenção especial à gestão financeira da empresa, afinal, disso dependerá a sobrevivência do empreendimento no mercado.

Para que serve o planejamento financeiro?

Planejar é uma atividade de quem quer se antecipar a diferentes cenários futuros para tomar decisões eficazes. No caso de uma empresa, o planejamento financeiro serve para prever entradas (receitas) e saídas (gastos) por meio do fluxo de caixa, além de contribuir para a elaboração do orçamento do negócio, bem como de estratégias para manutenção e crescimento do mesmo. Com o planejamento financeiro em dia, o gestor não precisará recorrer ao achismo para decidir os rumos da empresa.

Por onde começar?

Muitos empreendedores são ótimos na atividade-fim do negócio, geralmente por gostarem do que fazem, mas deixam a desejar quando o assunto é contabilidade ou gestão financeira. Porém, é justamente o caixa em dia que assegurará a empresa no mercado. Por isso, comece a estudar as finanças do seu negócio. Mantenha um registro das entradas e das saídas. Para fazer esse controle, uma dica é dispor de um software de gestão, que simplificará essa tarefa e não tomará tempo do empresário.

Analisar os resultados

Uma vez que o empreendedor possui os dados do que entra e do que sai no caixa da empresa, ele poderá fazer análises e, a partir daí, traçar o planejamento financeiro. O registro e o monitoramento do fluxo de caixa possibilitam que o gestor observe gargalos na empresa, comogastos desnecessários, bem como possa avaliar de onde vem a maior parte da receita do negócio. A vantagem de um software de gestão é que a empresa pode cruzar dados do passado e do presente para projetar o futuro.

A partir da mensuração dos resultados, a empresa poderá elencar prioridades. Por exemplo, se há gasto de papel acima da média em determinado setor, torna-se necessário implantar medidas para reduzir o consumo desse material. Já, em outra situação, caso as vendas em um certo mês sejam baixas demais, ao ponto de dificultar o equilíbrio do negócio naquele período, a empresa deve buscar meios alternativos para resolver esse problema. Vale lembrar, porém, que esse tipo de situação só é identificado quando se faz um controle eficiente da movimentação financeira do estabelecimento.

A importância do capital de giro

planejamento financeiro também auxilia o negócio a descobrir a quantia de capital de giro necessária para a manutenção das atividades do dia a dia. Isso porque, em grande parte das vezes, as receitas advindas das vendas não entram no caixa antes das datas de pagamentos a fornecedores. Logo, a empresa precisará ter um capital de giro para honrar os compromissos nesses intervalos de tempo. Se o empreendedor tem o controle do fluxo de caixa, ele terá projeções de entrada e de saída, o que facilitará na tomada de decisão, seja fazendo promoções à vista para trazer dinheiro imediato ou negociando prazos com fornecedores para adiar as saídas.

Período do planejamento financeiro

Geralmente as empresas planejam as finanças para prazos mensais e anuais. Antes de pensar no futuro, é recomendável que se tenha uma sólida análise da condição atual do negócio. Com isso, fica mais fácil definir objetivos e metas. Uma vez que se conhece o estágio presente da empresa, o planejamento financeiro se torna mais confiável. É interessante fazer projeções para, ao menos, três tipos de cenário: ruim (abaixo das expectativas), bom (para a manutenção da empresa) e ótimo (acima da média e com lucros). Para tanto, a empresa deve fazer um orçamento anual, com as perspectivas de entradas e saídas para cada mês. Na gestão financeira diária, o empreendedor poderá acompanhar os status do que foi orçado e do que foi, de fato, realizado.

Com o planejamento financeiro, a empresa poderá ter uma noção clara da destinação dos recursos que possui. Nesse sentido, vale lembrar que parte dos eventuais lucros devem ser reinvestidos no negócio. Também é necessário definir o valor mensal do pró-labore dos sócios, da mesma forma que não se deve misturar as contas da empresa com as contas dos sócios ou do proprietário.

Automatização de processos

Se, por um lado, o empresário não pode esquecer as finanças, por outro, ele também não deve deixar de acompanhar a atividade-fim do estabelecimento. Como conciliar os dois papéis requer um tempo do qual quase todo o empreendedor não dispõe, é importante lançar mão das facilidades da tecnologia para fazer a gestão financeira do negócio. Por exemplo, os sistemas próprios para essa tarefa apresentam relatórios prontos, o que torna bem mais ágil a tomada de decisão.

Com o tempo e com os dados registrados no software, a empresa poderá fazer comparativos para redução de custos, adequação de metas etc. Dessa forma, o gerenciamento de setores como compras, vendas, estoque, contabilidade, logística, entre outros, ficará mais rápido e integrado. Ao saber das movimentações de cada departamento, o gestor poderá fazer um planejamento financeiro eficiente, que esteja adequado à realidade da empresa. Assim, o negócio terá condições sólidas para se manter e se desenvolver no mercado, sem correr os riscos de ter a saúde financeira prejudicada por falhas de gestão.

Você faz o planejamento financeiro da sua empresa? Como utiliza essa ferramenta de gestão? Conte a sua experiência nos comentários aqui do blog. Participe!

voltar