Fique por dentro das novidades e saia na frente

Receba e-mails semanalmente com novidades.

 

 

A importância de fazer o DRE para pequenas empresas

Postado por Márley Nolêto

Postado em 03/05/2016 19:00:00


A importância de fazer o DRE para pequenas empresas

Com a correria do dia a dia, muitos pequenos empreendedores acabam focando esforços na execução de tarefas operacionais da empresa e acabam esquecendo, ou mesmo deixando de lado, a situação financeira do negócio.

A verdade é que se as finanças não vão bem, as atividades operacionais da organização acabam sendo comprometidas e é onde o perigo reside. Isso pode comprometer seriamente o funcionamento do negócio e, até mesmo, ocasionar seu fechamento.

A Demonstração de Resultado do Exercício (DRE) é um importante relatório financeiro que possibilita ao gestor conhecer, com exatidão, a real situação econômica da empresa num determinado período.

Para pequenos empreendedores, a utilização da DRE acaba sendo uma importante aliada no processo de decisão, uma vez que fornece uma série de informações, além da possibilidade de ser utilizada para o cálculo de uma série de indicadores, como o Volume de Vendas, Rentabilidade da Empresa, Custo das Mercadorias e Despesas Fixas.

Mas a DRE não tem apenas a função de demonstrar os resultados globais da empresa. Uma de suas grandes finalidades está em apresentar informações setoriais, de forma que o gestor possa conhecer exatamente a contribuição específica de cada setor no resultado geral.

No post de hoje veremos alguns benefícios em utilizar a DRE para pequenas empresas como uma importante ferramenta no processo de gestão e qual a contribuição no alcance de melhores resultados. Acompanhe!  

Evolução das receitas de vendas

Gestores que não acompanham o quanto de receita foi gerada num determinado período em relação ao volume de vendas acabam ficando ‘à deriva’, ou seja, sem base para um bom planejamento em médio e curto prazo ou mesmo para criar estratégias que possam ser úteis na melhoria dos resultados.

A DRE possibilita ao gestor provisionar o volume de vendas e, assim, conhecer seu volume de receitas para um próximo período, o que lhe dá a oportunidade de rever custos que são desnecessários ou mesmo que podem ser reduzidos.

Conhecendo a evolução das vendas, o gestor pode direcionar esforço para um melhor controle de estoque, matéria-prima, insumos e saber exatamente o quanto a empresa está produzindo e qual a rentabilidade que está gerando para a companhia.

Comparação de índices de lucratividade com o mercado

Uma das grandes possibilidades do uso da ferramenta DRE é poder acompanhar a evolução das contas, como no caso das vendas e despesas da empresa. Ou seja, num determinado período é possível saber o quanto a empresa evoluiu em relação aos períodos anteriores e saber o quanto foi a margem de aumento do faturamento.

No caso de decréscimo, o gestor poderá analisar através da DRE quais fatores contribuíram para um resultado negativo e ajustar o plano de negócios com a real situação da empresa. Já no caso de o resultado ter sido positivo, o gestor poderá direcionar recursos para novos investimentos, melhoria e aumento da produção ou mesmo reservar uma determinada quantia para períodos de menor lucratividade.

Com índices realistas de lucratividade, o empreendedor poderá fazer comparações com aqueles do mercado e saber se sua empresa está sendo competitiva ou mesmo se precisa realinhar a precificação para se equiparar ao que está sendo colocado pelo concorrente.

Precificação mais eficiente

Toda e qualquer decisão deve ser tomada utilizando informações reais e confiáveis que realmente demonstrem a situação da empresa. Com a utilização da DRE, gestores podem precificar seus produtos/serviços levando em consideração o custo incorrido para a produção e o que o mercado está propondo, de forma que o preço atribuído seja competitivo e a empresa não fique em desvantagem e, muito menos, tenha prejuízo colocando um preço abaixo dos custos que teve para a produção.

O Custo de Produtos Vendidos (CPV) ou o Custo de Mercadorias Vendidas (CMV) é um dos itens presentes na DRE, a qual fornece os gastos relativos à fabricação e/ou comercialização de um determinado produto e/ou serviço. Através dele o gestor pode verificar se os custos de períodos anteriores foram menores ou maiores e se a receita auferida oscilou. Dependendo da análise, é preciso rever o processo de precificação de um determinado produto de forma que os gastos reais sejam atribuídos a ele.

Gostou do nosso post? Que tal compartilhar conosco sua opinião? Aguardamos você!

voltar